Lançamento da Campanha da Fraternidade 2018 – Diocese de Foz do Iguaçu

 

 Na quarta-feira anterior ao Primeiro Domingo da Quaresma – este ano, em 14 de fevereiro teve início na Catedral Diocesana Nossa Senhora de Guadalupe o momento de reflexão, jejum e oração, designado como Tempo da Quaresma. O  tempo que precede e dispõe à celebração da Páscoa e lançamento da Campanha da Fraternidade 2018.

Dom Dirceu Vegini Bispo da Diocese abriu sua homilia com a mensagem do Papa Francisco: “A quaresma é sinal sacramental a caminho da páscoa do senhor, a caminho da nossa páscoa e é neste caminho que somos todos nós convidados a experimentar o amor e a misericórdia Divina”. Para tanto é preciso tomar consciência dos nossos pecados e reconhecê-los, certos de que se confessarmos nossos pecados, Deus com alegria manifestará seu amor misericordioso. Foi justamente essa experiência que fez o povo do profeta Joel. Convidou as crianças, jovens e adultos para voltar a Deus, rasgar não as vestes, mas o coração, porque a maldade e o pecado está enraizado em nosso coração. E voltar de coração arrependido para Deus. Porque “Ele” como falou o profeta  é benigno, compassivo, paciente e misericordioso. E diante o convite do profeta o povo fez penitência e Deus perdoou os pecados cometidos. Esta experiência que cada um de nós é convidado a fazer neste tempo da manifestação da Graça de Deus. E  em outro ponto o Bispo falou ainda da Campanha da Fraternidade 2018:

“O tema:  Fraternidade e superação da violência, tendo como lema “Em Cristo somos todos irmãos (Mt 23,8)”. Nos faz refletir que no Brasil a cada 5 horas são mortas 23 pessoas pela violência, correspondente a 13% dos assassinatos do nosso planeta, que significa que vivemos em um país que a violência está presente na vida de tantas pessoas, que são assassinadas sobre a realidade da violência nas ruas, no trânsito com o consumo do álcool, com drogas lícitas e ilícitas, uma violência contra a mulher que é marginalizada, os indígenas e os negros que sofrem segundo estatística 158% a mais do que os brancos, num país onde a violência está presente e nós não podemos ficar indiferentes porque a violência pode estar dentro das nossas casas. E certamente se ela está presente em nossas casas ela está dentro do coração de cada um de nós. Disse Jesus: “O que torna impuro o homem é o que sai dele”. A violência sai de dentro de nós. Como deve ser nossa atitude? Converter o nosso coração, ter um coração de carne, capaz de amar e perdoar. Se lermos os Evangelhos perceberemos que Jesus nunca teve atitudes violentas. E “Ele” sempre condenou a violência e não ao ódio superando atitudes violentas, amando os vossos inimigos sendo a favor da cultura da vida e da paz, um Deus de braços abertos. Concluiu Dom Dirceu: ” Podemos fazer algo, mesmo um pequeno gesto a partir da nossa casa, na rua, no trânsito, no trabalho na sua comunidade, valorizando a todos pois somo todos irmãos.

E a campanha da fraternidade está sendo levada aos setores onde os devotos se reúnem nas casas para refletir e rezar.
Hamilton Bassoa paroquiano da Catedral Diocesana, nos contou que participa ativamente a três anos: “Primeiro fui convidado a fazer parte do grupo e percebi que faltava alguma coisa e tudo estava me completando: Participação em encontros, auxiliando na equipe de liturgia, servindo a Deus com o que menos damos valor: “O tempo”, e aos poucos fui criando laços com a comunidade.

Num desses encontros fui convidado pelo diácono a participar de outros eventos dentro da Igreja. E tive uma afinidade pela CEBs (Comunidades Eclesiais de Base), E hoje participo do Grupo de Família na minha paróquia e sou responsável pelo setor 3 – São Francisco de Assis, Vila A, pertencente à paróquia Nossa Senhora de Guadalupe. E este ano reunimos 14 famílias para  participarem da Via Sacra que é um momento de reflexão dos últimos passos de Nosso Senhor Jesus Cristo. Estamos a cada encontro refletindo o tema da campanha da Fraternidade 2018. Fui percebendo que a cada ano o tema é ligado a vida, seja pela “casa comum”, ou pelo amor ao próximo e o resultado foi muito bom e estou me sentindo realizado, o que me chamou a atenção foi : o relato de algumas pessoas que não tinham uma participação frequente nas celebrações ou que nem sabiam da existência dos setores. E hoje estamos colhendo frutos desta em “Igreja em saída”, que o Papa nos pede e que está no Planejamento Diocesano”. Afirmou Hamilton.

A Quaresma se estende da Quarta-Feira de Cinzas até o domingo de Ramos e é marcado pelo convite ao recolhimento e à conversão dos devotos. A Campanha da Fraternidade 2018 se estende durante o ano todo juntamente com o Ano Litúrgico, onde são desenvolvidas diversas atividades pastorais em todas as regiões do Brasil.

Gilberto Xavier / Pascom

 

 

 

Deixe uma resposta